No dia 22 de maio aconteceu o XIX Seminário Brasileiro do Transporte Rodoviário de Cargas no Auditório Nereu Ramos, em Brasília. O evento foi promovido pela Comissão de Viação e Transporte da Câmara dos Deputados e visa discutir atividades que viabilizem propostas referentes às áreas voltadas ao setor. Para isso, reuniram empresários do ramo, lideranças, parlamentares, autoridades governamentais, integrantes do meio acadêmico, técnicos especializados e a sociedade em geral. Vilmar José Rui, presidente da Cootravale, foi acompanhar de perto o que estava sendo discutido sobre o setor.

 

O evento foi dividido em dois painéis para debater sobre temas diferentes, sendo eles Reforma da previdência e Infraestrutura. José Hélio, presidente da Associação Nacional de Transporte de Cargas e Logística – NTC&Logística, considera a Reforma da Previdência uma das mais importantes para o desenvolvimento econômico e para atrair investimentos em infraestrutura. Rogério Marinho, secretário especial da Previdência Social, também se mostrou positivo quanto ao tema, apontando que os assuntos pautados para essa reforma garantem mais segurança jurídica, possibilitando empreender uma série de transformações. O evento deu indícios que a Reforma poderá ser aprovada no primeiro semestre de 2019.

No painel Infraestrutura um dos principais temas abordados foi malha viária. Transportadores falaram sobre a necessidade de uma reestruturação na infraestrutura das rodovias. Em contrapartida, participantes do painel apontaram a fraca fiscalização do excesso de peso dos caminhões e a necessidade de torná-la mais rígida, tendo em vista que o excesso de peso impacta na malha viária do país. Também foi apontado por João Francisco Ribeiro, representante da direção da Polícia Rodoviária Federal, que é necessário mais segurança nas rodovias, a fim de combater o roubo de cargas. Nessa discussão, a conclusão final é que a frota de veículos nas rodovias quase duplicou, mas a pavimentação rodoviária não acompanhou esse crescimento.

A ANTT extinguiu a obrigatoriedade do adesivo do RNTRC (Registro Nacional do Transportador Rodoviário de Cargas), passando a fiscalizar os veículos apenas por meio eletrônico. E melhor, o valor da multa foi reduzido. Quanto a regulação do piso mínimo do frete também, essa foi abordada a partir da tabela reajustada pelo IPCA. Ainda sobre a lei da tabela mínima de fretes, Diumar Bueno, presidente da CNTA destacou que “[…] a lei nos oferece um salto de qualidade que reflete em toda a cadeia do transporte rodoviário, desde o embarcador até o consumidor final”.

Fonte:

XIX Seminário do Transporte de Cargas discute pautas importantes para o setor


https://www.cntabr.org.br/CNTA-destaca-importancia-do-Piso-Minimo-do-Frete-durante-Seminario-do-Transporte-Rodoviario-de-Cargas+299888
https://www.portalntc.org.br/publicacoes/blog/noticias/rodoviario/xix-seminario-brasileiro-do-transporte-rodoviario-de-cargas